Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2009

OPINIÃO DA CRÍTICA E IMPRENSA especializada sobre as obras da Confraria da Dança

“...Diane reina. Intérprete de uma força e qualidade raras, adensa seus recursos a cada nova produção. Sutilmente, vai desenovelando mais timbres, e, com eles, povoa a sua cena com muitas vozes e diferentes personagens. Nos timbres ou nos gestos, o padrão de qualidade se repete: seus movimentos precisos parecem nascidos de uma obsessão pelo ajuste perfeito. Seu controle da mais ínfima inflexão ao gesto mais explícito revelam uma dessas muito raras intérpretes que dominam tudo o que se propõem a fazer em um palco. (...) O rigor que permeia a escolha de cada elemento presente na cena e o modo como é nela trabalhado a confirma como uma das mais fortes intérpretes da dança brasileira.(...) Que sorte a nossa podermos contar com profissionais desse quilate!” Helena Katz “Escuro e sombra, mas o corpo reluz” Crítica publicada em 26/06/09 no Caderno 2 do Jornal O Estado de São Paulo “Diane Ichimaru é uma bailarina sui generis. Como um redemoinho no meio do rio, ela suga tudo ao redor para cr

ADVERSO

Imagem
Solo de Diane Ichimaru Projeto contemplado pelo Concurso de Apoio a PROJETOS DE NOVAS PRODUCÕES de espetáculoS de Dança NO ESTADO DE SÃO PAULO Edital ProAC 4 – 2008 PRÊMIO APCA 2009   Eleito entre os  melhores da Associação Paulisa dos Críticos de Arte em 2009 Categoria DANÇA - CRIADORA/INTÉRPRETE  DIANE ICHIMARU/CONFRARIA DA DANÇA SINOPSE A criação explora os estados de pressão/tensão psicológica e o paralelo com o corpo/movimento em conflito com o espaço restrito. O confronto de músculos e articulações com limites/barreiras espaciais desperta a memória/mundo intrapsíquico . mais informações sobre ADVERSO Um grande abismo se abre, povoa e aprisiona o pensamento. Contamina o movimento. Corpo fechado proclama sua atormentada incomunicabilidade e desentendimento do mundo. O tempo áspero marca a pele, adverte o coração. Céu desperto entre nuvens carregadas: gotas suspensas e untuosas sobre a cabeça – sonho esquivo edifica um universo contra a corrente; n